Veja o que três praias do Ceará tem em comum

Principais pontos da Costa Leste do Ceará, estas três praias têm em comum as belíssimas falésias, o mar esverdeado e o vento constante que você já conhece das aventuras de Elaine, Pipa, Andréa, Marrrcushshsh & cia.

É uma região que pode ser visitada em passeios de um dia só a partir de Fortaleza (neste caso, você vai ter que fazer duas viagens, uma a Morro Branco e Praia das Fontes, outra a Canoa Quebrada). Se você quiser passar uma temporada maior, é bom conhecer melhor a diferença do astral de cada uma das praias, já que a paisagem é parecida.

Morro Branco é o mais espetacular dos três lugares. Primeiro, pelo trecho de falésias incrivelmente brancas que dão nome à vila. Mas também porque, ao lado das falésias brancas, existe uni labirinto de falésias coloridas (dizem que em doze tons diferentes) por onde você passa e pode ver artesãos fazendo desenhos de areia colorida dentro de garrafinhas.

Você já deve conhecer não só as garrafinhas (um dos dois souvenirs mais tradicionais do Nordeste, junto com os bonequinhos de Mestre Vitalino de Caruaru), como também o labirinto propriamente dito — foi lá que gravaram uma abertura antiquíssima do Fantástico.

Como vive principalmente dos visitantes que vêm e voltam no mesmo dia, Morro Branco não tem muitas opções de hospedagem — e tranqüilidade assegurada à noite. A Praia das Fontes desponta como a opção papai-mamãe para férias na falésia. Tem um resort super família (de porte médio, com um parquinho aquático para crianças pequenas) e alguns pequenos hotéis aqui e ali, entre casas de veraneio de gente fina.

A praia também tem falésias brancas como em Morro Branco, e na maré baixa você pode caminhar até as duas fontes que brotam da falésia e dão nome à praia. Na maré baixa também se pode fazer um passeio de bugue por várias praias até Barra de Sucatinga — a tal “Praia dos Anjos” da primeira versão de No limite. Não conte, porém, com nenhuma agitação noturna (fora os programas da própria Globo na TV do seu quarto…).

Já Canoa Quebrada, tadinha, virou uma favela esotérica instalada no alto da falésia. Só mesmo com espírito muito ripongo você não vai se deprimir com a feiúra e a bagunça da vila. A Broadway, a rua principal onde estão os bares e restaurantes, remete imediatamente à periferia de nossas grandes. cidades, não I guardando nada de rústico ou praiano como recordação.

A praia ‘central’ também foi completamente descaracterizada, com barracas de dois andares que tampam as falésias, e um vaivém de grupos de turistas que acabam com qualquer resquício de charme alternativo que um dia a praia possa ter tido.

Vale a pena fazer o passeio de bugue até a Ponta Grossa, ao longo de um rio de falésias de todos os matizes terrosos possíveis-‘ é o passeio de bugue mais bonito de toda a costa brasileira. A única razão para realmente se hospedar em Canoa Quebrada é a muvuca, que reúne estrangeiros mutcho doidjos e a moçada da alternativa da região (já que os maurícios, patrícias e surfistas da capitai viajam quase 700 Km até Pipa, no Rio Grande do Norte.

Solicite mais informações

avatar
  Subscribe  
Notify of